Falar de Sexo

Vamos Falar do que é Bom

A Professorinha – Conto Erótico

A minha primeira transa foi algo meio estranho, acho que, no fundo, de todo mundo é.

Quando eu estava na escola eu era bem NERD e por isso sempre tinha alguém que queria minha ajuda em dever de casa ou queriam fazer trabalho de escola comigo.

Em um dia acabei tendo que fazer um trabalho de física com uma garota chamada Mariana.
Não me lembro exatamente sobre o que era o trabalho, mas me lembro bem da Mariana.

Mariana era a garota mais sexy da classe, e uma das mais gostosas da escola.
Um rosto lindo, lábios carnudo, cabelos castanhos, seios razoavelmente fartos ( para nós, os garotos da escola, eram seios perfeitos ), coxas bem torneadas.
E o mais importante, ela não era apenas gostaas, ela sabia ser sexy. Desde a roupa até o modo de andar a tornavam extremamente atrativa.

Ela usava óculos, mas óculos que combinavam muito bem e que deixavam ela mais gostosa ainda.

O trabalho estava marcado e eu teria que ir a casa dela.
Quando cheguei lá ela estava com uma saia não muito curta, e uma camiseta que dava a impressão que os seios estavam maiores.

Quando a ví, sentí um gelo na espinha. E tive um desejo louco por ela, mesmo eu sendo virgem, tive vontade de arrancar a roupa dela e comê-la ali mesmo.

Claro que não fiz isso, apenas entrei e fomos fazer nosso trabalho.

Enquanto eu fazia alguns gráficos ela me observava e vez ou outra ela mordia o lápis.
Mordia suavemente, ou simplesmente deixava os lábios passar pela ponta do lápis.
Eu ficava cada vez mais excitado e pensando mais besteira. Não conseguia me concentrar no trabalho.

Sem querer derrubei uma caneta no chão e me abaixei para pegar, quando olhei por baixo da mesa ví as pernas de Mariana pouco abertas e a saia um pouco levantada. Não deu para ver muita coisa, mas sentí meu rosto queimar, tinha certeza que estava corado.

Estava muito excitado, meu pau estava muito duro dentro da calça.

Aí ela pediu para eu ver uns cálculos que ela fez, que pareciam estar errados.
Pensei que ela nem tivesse notado que eu estava corado, imaginei que talvez eu nem estivesse.

Comecei a ver os cálculos e pouco tempo depois ela tirou os óculos e começou a morder a ponta dos óculos, aquela cena era maravilhosa. Eu estava quase gozando de tanto tesão. Sentí minhas mãos ficarem suadas, a folha começava a ficar molhada já.

Foi aí que ela perguntou se eu queria alguma coisa para beber.
Disse que não, então ela disse que ia lá beber e voltava já.
Disse que tudo bem e ela foi.

Pouco tempo depois ela voltou e se encostou atrás da cadeira em que eu estava sentado e perguntou:
- Conseguiu achar o erro no cálculo? – em seguida passou a mão de leve no meu pescoço.
Sentí um arrepio grande e um tesão maior ainda e disse meio gaguejando:
- Ainda não.

Nisso ela simplesmente virou e me beijou.
Eu fiquei louco, não sabia o que fazer, fui pego totalmente distraído.
Ela continuava a me beijar… então retribuí o beijo.

Coloquei a mão na cintura dela, e logo em seguida ela sentou no meu colo, sentindo o meu pau duro.
Não sabia o que fazia, então apenas continuei beijando ela.
Ela pegou minha mão e colocou no peito dela e disse: “É assim que se pega em um peito! Pegue!”

Comecei a passar a mão pelo corpo todo dela, eu queria meter a mão na buceta dela, nunca tinha tocado em uma, precisava saber como era.
Fui descendo a mão, quando quase cheguei na bucetinha, ela pegou minha mão e disse: “Aqui não!”

Já pensei: “Puts, não vou ganhar nada nessa brincadeira!”
Mal pensei isso, ela levantou e me puxou, fez eu ir para o quarto dela.

Chegando lá, ela mandou começou a tirar minha roupa loucamente e eu tirei a roupa dela.
Ela pegou uma camisinha da gaveta e mandou eu pôr.
Coloquei a camisinha e ela disse, agora pode pegar na minha bucetinha. Veja como está molhada, você me deixa louca, quero cavalgar no seu pau!

Comecei a acariciar a bucetinha dela, estava encharcada, eu estava louco de tesão, a ponto de gozar só por isso.
Não me aguentei e disse: “Cavalga no meu pau então!”

Ela começou a cavalgar, gozei muito rápido. Eu estava muito excitado e era tudo muito bom na primeira vez.
Assim que ela percebeu que eu tinha gozado ela disse com uma voz muito puta: “Sabia que você era virgem, mas não esperava que você fosse gozar tão rápido!”
“Como você foi muito ruim nisso, vai ter que pagar! Vai ter que me fazer gozar com a boca! Chupa minha buceta agora!”

Eu não fazia idéia de como chupar uma buceta, mas fui com tudo, como se fosse comida para um faminto.
Comecei a chupar e a sentir o gosto maravilhoso daquela buceta!
Era doce, indescritível!

Ela me ensinou a chupar, falava onde ela mais gostava e gemia gostoso.
Até que ela gosou…

Foi maravilhoso! Ela foi a minha professora sexual!

junho 22, 2008 - Publicado por | Contos Eróticos | , , ,

2 Comentários »

  1. pow padrão a 1 vez..

    Comentário por roberto | maio 31, 2009 | Responder

  2. mee, foi boum pra sua primeira vez,
    mas comigo teria sido melhor hein…

    Comentário por Anika | junho 26, 2009 | Responder


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 33 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: